Bem-Vindo à Esa Filosofia. Aqui poderá encontrar toda a informação, dicas, textos de reflexão, ensinamentos diários, artigos científicos, que o vão ajudar a criar e a melhorar a sua consciência, forma de pensar, a sua visão do mundo, entre muitas outras coisas. Semanalmente levaremos até si artigos de grande qualidade sobre assuntos que por vezes ouvimos ou lidamos diariamente sem perceber bem o porquê do mesmo. Participe e Comente!

7 de Maio de 2012

5 livros de filosofia para iniciantes! (2)

Hoje iremos fechar um ciclo. Mais concretamente, vamos dar finalidade ao assunto tratado no artigo 5 livros de filosofia para iniciantes (1). Assim, iremos apresentar-lhe os restantes 5 livros que consideramos fundamentais e de leitura quase obrigatória para quem se iniciou no estudo da filosofia à relativamente pouco tempo. Nota: Considere ler o primeiro artigo antes de ler esta continuação.

Este artigo é a segunda parte de um conjunto de 2 artigos, que ao todo, lhe dão a conhecer 10 fantásticos livros para você começar a estudar Filosofia com mais facilidade e mais prazer. Aqui, iremos então, dar finalidade ao tema tratado no artigo anterior.



1. “MAIS PLATÃO, MENOS PROZAC”, DE LOU MARINOFF

Sinopse - "Como lida com os desafios, perdas e conflitos de seu dia-a-dia? Da forma mais racional e consciente possível? Se a resposta for positiva, parabéns, você deve ser um dos poucos felizardos que compreenderam que a vida não é tão complicada como muitos pintam. Mas se continuar à procura de novas perspectivas para enfrentar velhos dilemas emocionais, que tal recorrer à filosofia? Essa é proposta do filósofo Lou Marinoff, autor de «Mais Platão, Menos Prozac!». Marinoff é um dos pioneiros nos Estados Unidos da nova corrente filosófica que propõe retirar a filosofia dos debates académicos e levá-la para o quotidiano de todos os cidadãos. 
Neste livro, Lou Marinoff chama a atenção de que a vida não é tão complicada quanto muitos dizem. Segundo ele, se encontrarem problemas, analisem as várias opções e depois disso, basta apenas escolher a melhor e com ela, resgatar o equilíbrio pessoal.


2. “O CONSOLO DA FILOSOFIA”, DE ALAIN DE  BOTTON

Sinopse- "O Consolo da Filosofia é uma viagem cativante ao longo de 2400 anos de filosofia Ocidental. Focando a vida e o trabalho de seis dos filósofos mais importantes dos últimos tempos, Alain de Botton apresenta uma análise espirituosa e esclarecedora sobre o modo como a filosofia pode ser um consolo, inspirando-nos e constituindo uma motivação. Com inteligência, sabedoria e criatividade, o seu livro é simultaneamente um compêndio indispensável de aconselhamento sobre o modo como lidar com as nossas angústias mais correntes e uma espantosa introdução à história e utilização da filosofia.

Esta obra é sobretudo engenhosa relativamente à divertida e inteligente forma como explica a vantajosa utilidade da filosofia e a sua história.


3. “AS PERGUNTAS DA VIDA”, DE FERNANDO SAVATER
Sinpose - "Para que serve a filosofia? Qual deveria ser o seu papel no ensino secundário? Estamos habituados a que a ciência resolva muitas das nossas dúvidas e problemas, mas algumas perguntas continuam em aberto, porque não admitem nenhuma solução definitiva. A filosofia não pretende responder-lhes de uma vez por todas, mas continua a ensinar a formular essas perguntas de forma cada vez mais rica e mais significativa, enquanto propõe tentativas de respostas para nos ajudar a conviver racionalmente com elas. Este livro gostaria de ser uma iniciação elementar à reflexão filosófica...

Este é um livro de iniciação elementar, rico em conhecimento de reflexão filosófica que se pode tornar muito vantajoso a principiantes no estudo da Filosofia
4. “SETE CARTAS A UM JOVEM FILÓSOFO”, DE AGOSTINHO DA SILVA
Sinpose - "As Sete Cartas a um Jovem Filósofo de Agostinho da Silva, conhecidas como uma das suas obras principais, são, ao mesmo tempo, uma autobiografia ficcional e um discurso sobre  o sentido e o valor da filosofia. Eles revelam-se assim, já em 1945 no ano da publicação, como um livro central para compreender a vida e o pensamento de Agostinho, não só como uma cronologia do passado, mas também como uma história do futuro."



Uma obra não tão pesada como as últimas, devido ao facto de dar principal importância à vida e pensamentos deste autor que é considerado um dos mais importantes filósofos portugueses e um dos maiores pensadores do século XX. Muito boa para quem busca motivos para se iniciar no estudo da Filosofia

5. “BREVE HISTÓRIA DE QUASE TUDO”, DE BILL BRYSON


Sinpose - "Uma pesquisa digna de um mamute, anos de investigação e como resultado… o Big Bang, os dinossauros, o aquecimento global, a geologia, Einstein, os Curies, a teoria da evolução, a gasolina com chumbo, a teoria atómica, os quarks, os vulcões, os cromossomas, o carbono, os organismos ediacaranos, a descontinuiade de Moho, o ADN, Charles Darwin e um zilião de outras coisas."


Em linguagem não demasiado científica, sempre clara e com as devidas anotações, o leitor é conduzido, por este autor extremamente divertido e bem informado, numa viagem através do tempo e do espaço, cujo prato forte é também revelar-nos algumas ironias do desenvolvimento científico. Esta é verdadeiramente uma obra que nos dá a sensação de ter o mundo na palma da mão. Sem dúvida uma boa escolha de leitura de iniciação a esta disciplina.


E VOCÊ, JÁ LEU ALGUM DESSES LIVROS?






11 de Junho de 2011

5 livros de filosofia para iniciantes! (1)

Depois de lhe termos dado a conhecer 5 incríveis motivos para estudar filosofia , vamos hoje, a pedido do visitante Diego Souza, falar sobre livros para iniciantes em Filosofia.

Como todos sabemos, grande parte das pessoas que tem oportunidade de aprender Filosofia, desiste muito facilmente por considerar esta disciplina difícil, inútil e sem sentido. Isto acontece porque essas pessoas não possuem bases nem conhecimento suficiente para começar a desfrutar da enorme utilidade que a Filosofia pode oferecer. Contudo, se procurarmos alguma coisa que nos ajude a iniciar este caminho em busca do conhecimento, iremos encontrar centenas de grandes livros indicados a principiantes em Filosofia.

Este artigo é a primeira parte de um conjunto de 2 artigos, que ao todo, lhe dão a conhecer 10 fantásticos livros para você começar a estudar filosofia com mais facilidade e mais prazer. Aqui, iremos indicar-lhe então, os primeiros 5 livros que consideramos indispensáveis para que o estudo da filosofia seja mais fácil e mais simples.

1. "O MUNDO DE SOFIA", DE JOSTEIN GAARDER


Sinopse - "Cartas anônimas começam a chegar à caixa de correio da menina Sofia. Elas trazem perguntas sobre a existência e o entendimento da realidade. Por meio de um thriller emocionante, Gaarder conta a história da Filosofia, dos pré-socráticos aos pós-modernos, de maneira acessível a todas as idades."

O Mundo de Sofia é um livro indicado a pessoas que pouco ou nenhum conhecimento tem de Filosofia e que nunca tiveram contacto com este reino dos porquês. Esta obra é sobretudo enriquecedora e de fácil leitura.

2. "O DIA EM QUE SÓCRATES VESTIU JEANS", DE LUCY EYRE


Sinopse- " Um inteligente e divertido romance que nos mostra como a Filosofia pode mudar as nossas vidas para melhor.
Ben Warner, um típico adolescente a passar umas férias de Verão enfadonhas, surpreende-se quando Lila, uma mulher jovem e atraente, lhe faz um bizarro convite. Embora tentado, Ben sente-se inseguro. E tem razões para isso!... Lila quer levá-lo para o Mundo das Ideias, um lugar completamente desconhecido para Ben. Mas Lila tem uma missão. O seu chefe, Sócrates, presidente do Mundo das Ideias — cargo que mantém há 1209 anos — fez uma aposta com o seu arqui-rival Wittgenstein. 

Para a ganhar e manter o seu cargo, Sócrates terá de fazer crer a Ben que a filosofia pode melhorar a sua vida. Desconhecendo o que lhe vai acontecer, Ben entra num inesperado mundo paralelo. E assim começa a sua viagem mental à volta das grandes e pequenas questões da vida. O que é a felicidade? A morte é o que de pior nos pode acontecer? Teremos vontade própria? E, a pouco e pouco, Ben começa a interrogar-se sobre as mais variadas questões e a acreditar que a vida é muito mais do que um jogo de futebol. 

Excêntrico, divertido e original, O Dia em Que Sócrates Vestiu Jeans é a história de um jovem que escapa da sua vida entediante para um excitante mundo paralelo e desperta para a real importância da vida através da aprendizagem dos conceitos básicos da filosofia."



Esta obra é um inteligente, divertido e original romance que mostra aos jovens que existem vantagens e benefícios da filosofia, e como esta área do conhecimento pode melhorar as suas vidas.


3. "ÉTICA PARA UM JOVEM", DE FERNANDO SAVATER


Sinpose - "Nada menos supérfluo do que ensinar as opções e os valores da liberdade se queremos educar seres humanos livres. Mas como falar de ética aos adolescentes, sem incorrer na simples crónica das ideias morais ou no doutrinamento casuístico sobre questões práticas? Pensado e escrito para ser lido por adolescentes, Ética para Um Jovem explica, numa linguagem clara, profunda e ao mesmo tempo divertida, do que trata a Ética e de como a podemos aplicar à nossa vida quotidiana para tentarmos viver da melhor maneira possível connosco e com os outros. Um livro que convida o leitor a reflectir e a colocar novas questões sobre a liberdade de escolha, a responsabilidade, o valor da amizade, o amor, o respeito, a posse, o poder. Com exemplos ilustrativos que vão dos clássicos gregos a Citizen Kane, cada capítulo finaliza com citações de escritores como Erich Fromm, Martin Buber, Daniel Defoe e Octavio Paz. Um livro indispensável tanto para jovens como para pais e professores."




Esta grande obra é escrita numa linguagem bastante simples e descontraída o que facilita a leitura do livro. Se quer começar por algum lado, então considere ler este fantástico livro.


4. "CONVITE À FILOSOFIA", DE MARILENA CHAUI


Sinopse - "Partindo do princípio de que a vida cotidiana é toda feita de crenças silenciosas, da aceitação de evidências que nunca questionamos porque nos parecem naturais e óbvias, a autora analisa neste livro a Filosofia e sua utilidade como forma de indicação de um estado de espírito e respeito pelo saber."


Escrito com uma enorme simplicidade, Convite à Filosofia é um livro bastante acessível a qualquer pessoa que queira dar o seu primeiro passo neste enorme reino dos porquês.


5. "QUE DIRIA SÓCRATES?", DE ALEXANDER GEORGE


Sinopse - "Este livro é uma prova admirável de como a Filosofia está cada vez mais viva e actual. Nele, o leitor encontrará formuladas e respondidas muitas das questões filosóficas que certamente já se colocou nas situações mais banais e inesperadas da sua vida: interrogações acerca do que é certo ou errado fazer em determinadas situações, acerca da morte, do valor da vida, da natureza da arte, do amor, do sexo, da guerra, da verdade, da tolerância, da linguagem e muitas outras."




Este livro recorda-nos as famosas palavras de Sócrates «uma vida não examinada não merece ser vivida» e, ao fazê-lo, encoraja-nos a pensar melhor e mais filosoficamente.


E VOCÊ, JÁ LEU ALGUM DESSES LIVROS?

5 de Maio de 2011

5 motivos incríveis para estudar filosofia!


Depois de termos abordado e explicado o que é a filosofia, pareceu-nos correcto falar sobre um dos pontos fulcrais de toda a aprendizagem da área da Filosofia, mais concretamente os principais motivos que nos levam a estudar esta área do conhecimento.

Infelizmente, a grande maioria das pessoas que começa a estudar filosofia desiste muito facilmente por considerarem a disciplina difícil ou muito cansativa. No entanto, se analisarmos as razões que nos levam a estudar e tentar perceber esta antiga disciplina, será mais fácil e menos duro fazê-lo. Por isso mesmo, vamos indicar-lhe as razões que consideramos fundamentais para que o estudo da filosofia seja feito com gosto e puro prazer




1. APRENDER A ARGUMENTAR

Segundo o senso comum, argumentar é vencer alguém, forçá-lo a aceitar a nossa verdade. Esta definição é errada! Seja na escola, na política, no trabalho ou numa simples conversa, saber argumentar é, primeiramente, saber  compreender o raciocínio do outro. Argumentar é também conseguir o que desejamos, mas de uma forma construtiva e num sistema de conversa, onde devemos sempre ouvir o que o outro tem para dizer. O principal objectivo da argumentação é passar a nossa verdade para a verdade do outro.

Usamos a argumentação no nosso quotidiano, para propor um aumento de salário, para apresentar uma opinião  ou um projecto inovador, para justificar uma decisão que tomamos e até para pedir um aumento da mesada.

A importância da argumentação é imensa. Vejamos: um empresário ambiciona construir uma parceria com uma empresa de maior reconhecimento que lhe poderá trazer grandes vantagens ao seu negócio.  Será com toda a certeza necessário defender um produto, um serviço ou uma política da sua empresa na tentativa de a sua proposta de parceria ser aceite. O empresário obterá mais sucesso se souber responder às questões que lhe forem colocadas, de forma clara e inequívoca. Ou seja, terá mais hipóteses se os seus argumentos forem mais convincentes. 

A reter: Com a filosofia aumentamos consideravelmente a nossa capacidade de argumentação.


2. SER ABERTO A NOVAS IDEIAS

Estima-se, actualmente, que a população humana seja superior a 6,8 biliões de pessoas. Embora os nossos cérebros funcionem todos da mesma maneira, através de sinapses, cada indivíduo pensa de uma forma completamente diferente. Assim, este elevado número de indivíduos traduz-se, portanto, em uma enormidade de diferentes formas de pensamento que consequentemente nos proporcionam as ideias e soluções para os problemas que se nos impõem.

Para ser filósofo é necessário uma atitude de investigação, não desprezando a realidade, pois os filósofos  procuram resolver os problemas que surgem da experiência. Isto acontece porque, se o filósofo não for além dos conceitos que foram estereotipados pela população e dos preconceitos presentes na sua sociedade, então ele não conseguirá ser aberto a novas ideias ou novas formas de pensamento. Você, tal como um filósofo, necessita de ser uma pessoa que seja aberta a novas verdades, ideias e formas de pensar pois isso vai proporcionar-lhe aumentar significativamente as suas oportunidades de negócio, conseguir uma melhor estratégia de estudo ou encontrar diversas soluções para os seus problemas. 

A reter: É essencial que pense por si mesmo e aprenda a tomar posição. Nós desejamos contribuir para não "fabricar cidadãos bem pensantes", mas estimular o desenvolvimento de livres pensadores.    






3. DESENVOLVER A CAPACIDADE CRÍTICA


Quando se estuda filosofia, independentemente do tema ou assunto, as suas capacidades críticas de raciocínio vão sendo treinadas sem que você sequer dê por isso! Vejamos: Imagine que é dada a mesma questão filosófica a todos os alunos de uma turma. Os alunos terão que trabalhar essa questão com o objectivo de encontrarem uma resposta que responda ao problema inicial. Provavelmente um bom aluno que pense com rigor e seriedade no assunto, não se contentará com uma perspectiva mais comum ou vulgar que os restantes colegas. Ele irá realizar uma análise muito mais detalhada ao longo de todo o seu raciocínio, em busca de uma resposta que satisfaça a questão dada. 

Isto acontece porque, ao analisar cada vez mais questões filosóficas ou enigmas lógicos, o nosso cérebro vai progressivamente aumentando a sua capacidade crítica. Ou seja, ao longo de algum tempo cada indivíduo será bem capaz de encontrar verdades e respostas mais eficazes aos problemas ao invés de se contentar apenas com uma simples solução. 

A reter: Se quiser atingir estes resultados mentalize-se para exigir mais de si e tente focalizar mais atenção à questão/problema. 

4. A FILOSOFIA É ÚTIL EM TODOS OS EMPREGOS


Como todos sabemos, a constante prática de exercício físico é indispensável para ter uma boa saúde. Por exemplo, melhora significativamente as nossas capacidades respiratórias, motoras e muitos outros pontos essenciais para a saúde do corpo humano. Tal como na prática de exercício físico, a Filosofia também se torna numa ferramenta essencial a qualquer trabalhador que queira desenvolver as suas capacidades e alcançar o sucesso na sua área profissional.

Ao estudar e dominar esta área do conhecimento você pode se tornar num melhor orador para grandes públicos que possam, eventualmente, lançar-lhe questões que não tinha nos seus planos. Este exemplo é perfeitamente aceitável, assim como tantos outros. 

A reter: A Filosofia é importante e muito útil em qualquer profissão.


5. A FILOSOFIA DESENVOLVE  O RACIOCÍNIO LÓGICO

Com a ajuda da Filosofia (nomeadamente da Lógica) aprendemos a argumentar correctamente, de forma a podermos expressar e justificar as nossas opiniões, bem como provocar a livre adesão dos nossos interlocutores.  Através do desenvolvimento de um raciocínio lógico é possível a organização coerente dos pensamentos e a avaliar a validade dos argumentos que nos são apresentados, contribuindo assim para desenvolver a autonomia do espírito crítico.

Vivemos em sociedade, precisamos de comunicar, expor as nossas ideias e defender os nossos pontos de vista.  Se o fizermos com rigor e clareza, tudo se torna mais fácil e conseguimos fazer com que as nossas ideias sejam melhor compreendidas e aceites intelectualmente pelos nossos interlocutores. 


E VOCÊ, O QUE O MOTIVA ESTUDAR FILOSOFIA?


Até Já!

13 de Abril de 2011

O que é a Filosofia?

A pergunta já foi feita por várias gerações nas mais diversas sociedades. Afinal, o que significa a palavra filosofia? A palavra filosofia deriva das palavras gregas Philo (amor) e Sophia (sabedoria), pelo que se pode inferir tratar-se esta do gosto pelo conhecer.
Não existe uma definição única de Filosofia, uma vez que nenhuma teoria está totalmente certa ou errada. Cada filósofo concebe a definição de filosofia sob a sua própria perspectiva, sendo um resultado da realidade que ele procura conhecer.

PORÉM, O QUE É REALMENTE A FILOSOFIA?

  • É o questionamento da realidade, procurando as causas e os princípios das coisas: é a procura do saber.
  • É o acto de pensar livre e racionalmente, no qual se reflecte sobre toda a realidade.
  • Surge da necessidade do Homem explicar o mundo e o sentido da sua existência, pelo que não se satisfaz com respostas imediatas e superficiais, procurando sempre, sem cessar, melhorar todo o seu saber.
Assim, a Filosofia surge como uma reflexão crítica sobre o conhecimento e sobre o mundo. É um “conjunto de respostas” aos problemas que se colocam, pelo que nenhuma resposta é definitiva ou totalmente correcta. Você mesmo pode construir o seu próprio significado de filosofia, desde que seja construído com base em conceitos bem solidificados e com sentido e não meras bases desequilibradas.


E O QUE É SER FILÓSOFO?


Ser filósofo é ter extremas capacidades para se espantar e surpreender, estando aberto a novas ideias e sabedorias. O filósofo mantém uma atitude crítica sobre os problemas que surgem, questionando o que parece óbvio e estando sempre desejoso de saber o porquê das coisas. Além disso, é essencial que um filósofo tenha boas capacidades de escrita para que saiba argumentar a nível de conseguir defender as suas teses.

No entanto, apesar de tudo o que se possa dizer sobre a definição de Filosofia, esta continua a ser uma dos maiores problemas filosóficos de todos os tempos.


E VOCÊ, O QUE PENSA DA FILOSOFIA?

Até Já!

31 de Março de 2011

Drogas Leves - Legalizar?

Muitas são as situações em que se debate sobre o uso das drogas. Você provavelmente já viu qualquer notícia ou leu algum artigo sobre este assunto. Este não é um tema que seja propriamente estranho ao cidadão informado. Contudo, não deixa de ser um assunto que traz sempre discussões. Talvez você tenha pesquisado um pouco mais sobre o assunto e saiba que existem categorias diferentes atribuídas à droga. Dentro deste vasto “mundo” da droga existem as drogas leves e as drogas pesadas. Do ponto de vista da lei, não há diferença entre drogas leves e pesadas, mas apenas entre drogas legais e ilegais (ou lícitas e iliícitas).


O QUE SÃO DROGAS?

Droga é toda e qualquer substância, natural ou sintética que, ao introduzida no organismo modifica as suas funções normais. As drogas actuam no cérebro, o que faz com que afectem a actividade mental da pessoa, sendo por essa razão denominadas psicoactivas. Existem vários tipos de drogas.

Entre elas:

  • as que diminuem a actividade mental fazendo com que o cérebro funcione de forma mais lenta;
  • as que aumentam a actividade mental fazendo com que o cérebro funcione de forma mais acelerada;
  • as que alteram a percepção que são capazes de provocar distúrbios no funcionamento do cérebro, fazendo com que ele passe a trabalhar de forma desordenada;
  • Etc.

QUAL A DIFERENÇA ENTRE DROGAS LEVES/PESADAS?


Embora possa existir alguma discussão acerca de que drogas podem ser incluídas em que categoria, é geralmente aceite que nem todas as substâncias provocam o mesmo nível de dependência, tanto psicológica como física, daí a diferença entre as drogas leves, menos viciantes e geradoras de dependência, e as drogas pesadas, com grande potencial viciante.

DROGAS LEVES LEVAM AO CONSUMO DE DROGAS PESADAS?

A relação entre o consumo de drogas leves não está directamente associado ao consumo de drogas pesadas, embora um estudo norte-americano confirme que uma pessoa que consuma drogas leves tenha 56% mais probabilidade de vir a consumir drogas pesadas.



Começa porque o faz feliz? Por um bem estar momentâneo? Faz de si uma pessoa mais feliz? Resolve os seus problemas? Não! Traz-lhe mais, bem mais.
Legalizar algo que faz mal? Algo pelo qual se mata e se rouba? É solução legalizar? Tornar a droga mais barata, de maneira a que esta possa "manter vivo" o seu vício? Será assim a forma mais correcta de agir perante um problema desta natureza?
Na minha opinião não. Não tornará as ruas mais seguras e não tornará os toxicodependentes menos dependentes.



E VOCÊ, O QUE ACHA DA LEGALIZAÇÃO DAS DROGAS LEVES?

Até Já!
Ir ao Topo Ir ao Fundo